Mocidade

Nasce uma Estrela…

Mocidade do Independente. Nossa escola deu seus primeiros passos assim, com esta preposição bem no meio de seu nome. Passos dados com pés que, antes de evoluírem e dançarem no asfalto, ao ritmo do samba, vestiam meiões e chuteiras, correndo atrás de uma bola nas partidas do Independente Futebol Clube, time de futebol de várzea que deu origem à Mocidade.

A equipe foi fundada por Ivo Teixeira, o popular Ivo Lavadeira, no ano de 1952, por uma simples razão: o homem queria jogar, mas nunca era aceito nos times por não ser exatamente um craque com a bola nos pés… Comprou a bola e as camisas, verdes e brancas, combinação cromática que mais lhe agradava. Um time de familiares e conhecidos foi escalado e… Pronto! Estava plantada, assim, em um campo de futebol, a semente independente.

As animadas rodas de samba que os boleiros armavam depois das peladas faziam enorme sucesso com a moçada de Padre Miguel. A batucada do pessoal do “Arroz com Couve” – como o Independente era carinhosamente conhecido, graças às cores de seu uniforme – só fez crescer, em tamanho e prestígio, e não tardou para que a brincadeira ganhasse contornos mais sérios. Foi criado então um bloco carnavalesco, a Mocidade do Independente, que passou a desfilar no carnaval do bairro.

Ali, longe do badalado centro da cidade e das referências seminais do samba carioca, nascia uma estrela que, mal podiam imaginar seus criadores, iria brilhar para muito além daquela terra espremida entre os maciços do Gericinó e da Pedra Branca.

Os primeiros ensaios aconteceram no quintal de Maria da Glória Pereira, a Dona Maria do Siri, nas redondezas do conjunto de apartamentos do IAPI, hoje conjunto habitacional Dom Jaime Câmara. Tia Chica, a mãe de santo do bairro, tinha um terreiro na Rua Jacques Ourique, onde abençoou, com seus famosos passes, os primeiros passos da estrela.

Alguns dos primeiros membros da Mocidade do Independente já flertavam com a ideia de transformar o bem sucedido bloco em uma escola de samba, mas foi só no carnaval de 1955 que tudo pareceu se aprumar para que a empreitada fosse levada adiante. No carnaval daquele ano, os dois grupos que buscavam consolidar-se no carnaval de Padre Miguel desfilaram na Rua D para definir qual era o melhor bloco do bairro. Competiram a Mocidade do Independente e a Unidos da Rua D, também conhecida como Boi Vermelho (hoje, Unidos de Padre Miguel). Contam que o responsável pela escolha da campeã, o então deputado Waldemar Vianna, assistiu às apresentações dos grupos de cima de um coreto, e de lá mesmo anunciou o resultado: para a felicidade geral do bairro, a Unidos seria o melhor bloco, e a Mocidade, a melhor escola daquele carnaval.

Alguns meses mais tarde, sacramentando a decisão deputado, seria fundada a E.S. Mocidade do Independente, em 10 de novembro de 1955. Na ata da primeira reunião constam os seguintes nomes: Sylvio Trindade (Vivinho, tio de Ivo Lavadeira), presidente, Renato F. da Silva, vice-presidente, Djalma R. Pereira, secretário geral, e Oympio Bonifácio (Bronquinha), como tesoureiro. Como parte da Comissão de Carnaval, os senhores Osmar G. da Silva, Itamar de Oliveira, Oswaldo D. de Castro, Sebastião M. dos Santos e Osmar Dutra. Na Comissão de Enredo, Beto Couto, Astrogildo R. dos Santos e José P. da Silva Domingos tomaram parte. Há ainda menção a Joaquim Alves, como um dos responsáveis por apresentar candidatas para o concurso de rainha de carnaval do ano seguinte.

 

 

Próximos Eventos

Nenhum Evento Cadastrado

Enquete

O que achou do novo site da Mocidade?

Ver resultados

Facebook